terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Teresópolis: Câmara pode bater recorde negativo

As últimas legislaturas em Teresópolis vem sendo rotuladas seguidamente como a "pior da história". Foi assim quando a maioria dos vereadores enfrentou a sociedade em troca de cargos e acordos de bastidores e relutaram o que podiam para cassar Jorge Mário. O mesmo aconteceu durante o mandato de Arlei, onde a Câmara foi submissa em sua maioria e só cassou o pior prefeito da história quando era inevitável por conta da pressão popular. Porém, com Jorge Mário demorou uns dois anos para chegar ao ponto que se vê hoje. Com Arlei também demorou um pouco.
Mas a nova Câmara já assumiu totalmente amedrontada ou compromissada com o prefeito Mario Tricano. E talvez para aproveitar o susto inicial e aprovar tudo o que quer e o que não quer, antes que os vereadores parem para pensar que apoiar o prefeito não pode estar ligado a virar inimigo da sociedade, o prefeito enviou um pacote de projetos de lei que numa primeira análise não traz nada de positivo para a cidade.
Corte de benefícios dos servidores, congelamento de reajuste da categoria, projeto que beneficia a empresa de ônibus e pode acabar com empregos de cobradores, projeto que joga no lixo milhares de assinaturas colhidas para se aprovar um projeto de lei visando criar um fundo de casas populares, projeto que acaba com o transporte universitário.
Nesta terça, 21, vereadores não tiveram coragem de votar as medidas que vão contra os servidores municipais. A sessão foi encerrada por "falta de segurança". Mas nunca é preciso segurança quando os vereadores votam em acordo com o anseio popular. Porém, quando você vira adversário da sociedade que o elegeu, não pode reclamar de palavrões, de pressão. Porque não se pode exigir respeito quando não se está respeitando.
Assim sendo, se os vereadores seguirem o enredo que está se desenhando, vão bater em tempo recorde o título de pior da história. Uma mancha na vida política de qualquer um deles que está entrando agora. Se não é para defender os seus eleitores, para que serve o vereador? Para negociar cargos? Então melhor realmente repensar a nossa democracia.

“Grande Acidente” e “Inesperado Plantão de Atendimento” recebem calouros no UNIFESO

A simulação do Grande Acidente, que acontece todo semestre na recepção dos calouros do curso de Medicina do Centro Universitário Serra dos Órgãos (UNIFESO), contou com novidades nesta edição, realizada no dia 10 de fevereiro. Uma iniciativa do Diretório Acadêmico Hamilton Almeida de Souza (DAHAS), junto à coordenação do curso, reuniu veteranos do 7º e 11º períodos, que se organizaram para encenar os procedimentos de primeiros socorros às vítimas do “acidente”.
De acordo com a estudante Dara Bizo, do sétimo período, foram dez dias de capacitação para que os veteranos pudessem passar aos novatos a forma certa de atendimento, sob a supervisão do professor do curso e subtenente do Corpo de Bombeiros de Petrópolis Carlos Souza. “Também passamos pelo Grande Acidente e o que sentíamos falta era como se realizaria um procedimento correto naquele momento, para os calouros entenderem que uma atitude errada pode levar a vítima à morte”, lembrou a estudante.
No “Grande Acidente” os calouros são recebidos com diversas situações de emergência interpretadas por veteranos e organizadas, filmadas e observadas por professores para serem discutidas posteriormente. A atividade é promovida todo início de semestre como parte do Módulo de Práticas Profissionais. Interpretando uma das “vítimas”, o estudante Luis Filipe Toledo, do segundo período, ao atuar no evento analisou “o aprendizado que tivemos neste primeiro período em relação aos primeiros socorros”.
Outra novidade deste semestre foi a participação de estudantes do ensino médio de diversos colégios, interessados no curso de Medicina. “Eu queria ajudar, mas não sabia como. Esta foi a primeira experiência na área da Medicina e espero no ano que vem estar aqui como caloura do UNIFESO para aprender muito”, avaliou Maria Eduarda de Sá Gircys, estudante do terceiro ano do Colégio São Paulo.

Inesperado Plantão de Atendimento 
Uma outra eventualidade envolvendo diversas vítimas com diferentes quadros clínicos marcou o primeiro “Inesperado Plantão de Atendimento”, simulado com fins didáticos voltado aos novos estudantes do curso de Enfermagem, promovido no dia 10 de fevereiro. O cenário de um acidente de ônibus com diversas vítimas, interpretadas pelos veteranos, foi a problemática dada para os calouros do curso resolverem na prática.
A estudante Bianca da Silva de Oliveira, do quarto ano e do Diretório Acadêmico Jane da Fonseca Proença, do curso de Enfermagem, conta que a iniciativa partiu da coordenação do curso junto ao diretório e foi concretizada por meio de um projeto de extensão coordenado pelas professoras Claudia de Lima Ribeiro, do UNIFESO Abre Portas, e Débora Passos da Silva Jones. Para ela, “esta atividade é uma perspectiva de amplitude do conhecimento dos calouros e, inclusive, para os veteranos que participaram do evento”. A atividade contou também com a supervisão do subtenente Carlos Souza.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Teresópolis também sem Carnaval

Teresópolis vive uma crise financeira, outros municípios também tomaram a decisão de não realizar Carnaval, até aí tudo normal. Mas a informação de que a Prefeitura sequer disponibiliza a segurança do trânsito para alguns blocos parece sem explicação, pois no máximo isto custaria as horas extras de alguns guardas municipais. No entanto ficamos aguardando que bom senso prevaleça.
O certo é que Teresópolis segue com salários de servidores atrasados, problemas na iluminação pública em vários bairros, coleta de lixo ineficiente também em muitas comunidades, ruas esburacadas a cada esquina e também sem Carnaval. Segue a nota da Prefeitura sobre a não realização de programação oficial:

A Prefeitura de Teresópolis não promoverá programação oficial de Carnaval. A medida de contenção de gastos, neste momento de grave crise financeira no país, leva em conta os altos custos que seriam gerados para a realização do evento, de acordo com os padrões sanitários e de segurança adequados para a população.

A realização, por conta própria, de qualquer evento/desfile, fica sob a responsabilidade e risco dos organizadores.

A Gestão Municipal está empenhada em regularizar as contas da Prefeitura, com o pagamento de fornecedores e do funcionalismo municipal, a fim de normalizar o atendimento das necessidades básicas da população.

Tentativa de assalto a ônibus Rio das Ostras - Teresópolis

Foi registrada tentativa de assalto a ônibus da Viação Teresópolis que faz a linha para Rio das Ostras. Segundo informações colhidas pelo repórter Paulo Vicente, a tentativa aconteceu próximo a Rio Bonito, no ônibus que saiu de Rio das Ostras às 18h, com destino a Teresópolis.
Alguns jovens teriam jogado uma pedra no coletivo, quebrando um vidro. Porém, prevendo o assalto, o motorista não parou o ônibus. Logo a frente uma blitz acontecia, o motorista do ônibus parou e disse aos policiais o que tinha acontecido. Alguns PMs partiram em direção informada onde conseguiram surpreender os jovens, sendo que um deles conseguiu fugir.  Ela foram para a Delegacia da área onde confessaram a tentativa de assalto e inclusive o que fugiu é pai de um dos aprendidos.
Um outro ônibus foi enviado para fazer o transbordo dos passageiros para que seguissem a viajem, já que o ônibus atingido não poderia seguir danificado transportando passageiros.
Informações: Paulo Vicente (Grupo Tere Repórter)

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Teresópolis: Vereadores elegeram Comissões Permanentes da casa

Na polêmica sessão de abertura dos trabalhos da Câmara Municipal de Teresópolis, na quinta-feira, 16, foram eleitas as Comissões Permanentes da casa para o restante do ano. A Câmara terá votações polêmicas nas próximas reuniões e algumas delas deverão ser colocadas em regime de urgência pelo Executivo, que tem maioria absoluta. Confira como ficaram as comissões:

COMISSÕES PERMANENTES DE 2017
COMISSÃO DE LEGISLAÇÃO, JUSTIÇA E REDAÇÃO FINAL
Luciano dos Santos Candido (PASTOR LUCIANO)– PRB- Presidente
Jaime da Silva Medeiros (TENENTE JAIME) – PTB- Relator
Carlos Eduardo Pimentel Barbosa - (DUDU DO RESGATE) – PSDC- Vogal

COMISSÃO DE FINANÇAS E ORÇAMENTO
Carlos Eduardo Pimentel Barbosa - (DUDU DO RESGATE) – PSDC
Wanderlei Cunha de Lima (LELECO) – PTN
Jaime da Silva Medeiros (TENENTE JAIME) - PTB

COMISSÃO DE OBRAS E SERVIÇOS PÚBLICOS
Wanderlei Cunha de Lima (LELECO)- PTN
Carlos Eduardo Pimentel Barbosa - (DUDU DO RESGATE) – PSDC
Ronny Santos Carreiro - PHS

COMISSÃO DE SAÚDE E ASSISTÊNCIA SOCIAL
Claudia Lauand (Dra. CLAUDIA) – PP
Jose Leonardo Vasconcellos de Andrade – PMDB
Eudibelto Jose Reis (DEDE)- PMDB -

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA
Jose Leonardo Vasconcellos de Andrade – PMDB
Jaime da Silva Medeiros (TENENTE JAIME) - PTB
Rocsilvan Rezende da Rocha - (ROCK) – PSDB

COMISSÃO DE ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE
Jaime da Silva Medeiros (TENENTE JAIME) – PTB
Luciano dos Santos Candido (PASTOR LUCIANO)- PRB
Maurício Lopes dos Santos – PHS

COMISSÃO DE TRANSPORTE PÚBLICO
Eudibelto Jose Reis (DEDE) – PMDB
Jose Leonardo Vasconcellos de Andrade – PMDB

Rocsilvan Rezende da Rocha - (ROCK)

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Teresópolis: HCT confirma em nota oficial a manutenção do atendimento

Em meio a tanta incerteza e notícias pouco promissoras, pelo menos uma informação positiva para os teresopolitanos. A Fundação Educacional Serra dos Órgãos encaminhou à imprensa nota oficial curta, objetiva, mas positiva. A nota assinada pelo diretor geral da FESO, Luiz Eduardo Possidente Tostes, diz que "concluídas as negociações com a Prefeitura de Teresópolis sobre a prestação de serviços ao SUS em 2017 pelo Hospital das Clínicas de Teresópolis Costantino Ottaviano (HCTCO) o mesmo continuará funcionando normalmente".
A nota foi divulgada no fim da tarde desta sexta, 17, data que havia colocada como limite pela FESO para um acordo com a Prefeitura. A Saúde do município que tem novo secretário, Diego Souza, que assumiu o cargo em meio à crise na qual a FESO chegou a anunciar a paralisação do atendimento no último dia 6 de fevereiro. O HCT era hospital municipal e em 1972, através de Lei Municipal, transformou-se em hospital universitário.
Imagens: Site FESO

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Teresópolis: Câmara terá que votar projetos impopulares logo neste início


O novo Legislativo Municipal de Teresópolis assumiu efetivamente hoje suas funções e na primeira sessão já sentiu o que será para um grupo de vereadores alinhado em sua absoluta maioria com os desejos do prefeito, mesmo que isto signifique ir contra parte da população. Com presença de servidores municipais protestando dentro e fora da Câmara, os vereadores não votaram nenhum projeto, mas confirmaram votos de questões importantes para a próxima sessão, na terça-feira, dia 21.

Entre projetos que o prefeito Mario Tricano pretende revogar, sem falar direitos conquistados pelos servidores municipais, está o que determina 3% do Orçamento Municipal para um Fundo visando a construção de casas populares. Não surpreende a falta de preocupação do prefeito com esta questão da habitação, pela qual nada fez em 11 anos a frente do Executivo, mas acabar com uma Lei aprovada pela Câmara após um movimento popular que recolheu milhares de assinaturas é de um retrocesso indefensável.
A Gazeta Fluminense não não é situação nem oposição, mas está muito difícil não criticar um governo que ignora a vontade popular e administra a cidade sem o menor diálogo com a sociedade. Da mesma forma o Legislativo, pois respeitamos todos os vereadores, mas eles também precisam mostrar que respeitam os votos que lhes foram dados.