quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Girando pela campanha: Pesquisas anunciam polêmica para os próximos dias

Nestes dias que antecedem a eleição, tanto aqui quanto na edição impressa que estaremos publicando, vamos trazer a coluna Girando pela Campanha atualizando informações de Teresópolis, Nova Friburgo, Magé, Guapimirim e Rio das Ostras.

Pesquisas em Teresópolis

Motivo de muitas polêmicas em Teresópolis nas últimas eleições, a possibilidade de divulgação de uma pesquisa em cima da hora deixa a política local em ritmo de expectativa. Em 2008, os jornais O Diário e a antiga Gazeta de Teresópolis, que sempre ressaltamos, nada tem a ver com a nossa atual A Gazeta Fluminense, publicaram pesquisas que tiveram um ponto em comum, empurraram para baixo a candidatura do então vereador Faria, candidato a prefeito pelo PMDB. A diferença é que o Diário mostrava Jorge Mário na frente e a Gazeta de Teresópolis apontava Tricano. Faria aparecia em ambos com 14% dos votos. Mas o candidato terminou a votação com 24%. Um erro de 10%, muito acima de qualquer margem de erro.
Em 2012, o Diário publicou pesquisa do IBOPE onde Tricano liderava, seguido de Arlei. Até aí tudo bem, mas errou feio nas votações de Salomão e Rosário. Apontou Salomão com 10% e Rosário com 4%, mas nas urnas eles tiveram 17,5% e 14% respectivamente. A outra pesquisa publicada por diversos outros jornais, era ainda mais complicada, pois além de reduzir a votação real de Salomão e Rosário, apontava Arlei vencendo Tricano. 
Em 2014, jornais da cidade, incluindo A Gazeta Fluminense, publicaram pesquisa para deputados, onde Salomão aparecia em primeiro, com 21% e Da Ponte em segundo, com 8% para deputado estadual. Desta vez, O Diário  atacou a pesquisa, dizendo que a mesma era mentirosa. Mas nas urnas Salomão teve 23,46% dos votos válidos e Da Ponte superou os números da pesquisa, chegando a 11,71%. O terceiro colocado na pesquisa era Marquinhos do Cinema, mas este teve sua candidatura indeferida e os votos não foram computados.
Agora, com a proximidade da divulgação de nova pesquisa, espera-se mais polêmicas que só serão esclarecidas domingo, dia 2, nas urnas.

Pesquisas em Nova Friburgo

As pesquisas não são polêmicas apenas em Teresópolis. Em Nova Friburgo, nos últimos dias foram publicados dois levantamentos com resultados bem diferentes. No jornal o Dia foi publicado pesquisa do instituto RM Mariath, Rogério Cabral aparece com 26 % das intenções de voto. Em seguida vem o deputado federal Glauber Braga (Psol), com 21%.
Em terceiro lugar no ranking está Renato Bravo (PP), com 13% das intenções de voto. Dra. Grace Arruda (PMDB) aparece na quarta posição, com 10% das intenções de voto. Em quinto lugar vem Renato Abi-Ramia (PR), com 6%. Já Hugo Moreno (PSTU) não atingiu 1% das intenções de voto. A pesquisa foi realizada no dia 17 de setembro e ouviu 599 pessoas.  A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio de Janeiro com o número 07598/2016.
Mas outra pesquisa, registrada pelo IBOPE, aponta Gláuber com 21%, Renato Bravo 18%, Grace, 17%, Rogério 12%, Renato Abi-Râmia 11%. Hugo aparece com 1%. Números muito diferentes da pesquisa publicada no jornal O Dia. A pesquisa foi registrada no TRE-RJ com o número 04399/2016.
Pesquisas em Magé, Guapimirim e Rio das Ostras
O mesmo raciocínio para as pesquisas de última hora servem para as demais cidades. Em Guapimirim, há uma pesquisa registrada e que deve ser divulgada nos próximos dias. Em Magé não existe pesquisa registrada para os últimos dias. O mesmo acontece em Rio das Ostras, onde dois candidatos apontados com destaque na única pesquisa registrada continuam indeferidos: o deputado Carlos Augusto (PMDB) e o prefeito Sabino (PSDB).

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Senac tem 3,5 mil vagas para cursos em todo o Estado

A unidade do Senac em Teresópolis fica no edifício garagem ao lado do Sesc

Senac RJ está com inscrições abertas para preencher cerca de 3,5 mil vagas de cursos técnicos em todo o estado. Há opções em diversas áreas de atuação, como beleza e bem-estar, audiovisual, comunicação, design, educação, gastronomia, gestão, moda, saúde, segurança e meio ambiente, TI, turismo e hotelaria, entre outros. Os interessados devem efetuar matricula diretamente nas unidades. Até o dia 30, novos alunos pagarão apenas R$ 50 na primeira mensalidade. Orientações sobre os cursos e documentação podem ser obtidas no site www.rj.senac.br ou pelo Disque-Senac: (21) 4002-2002.

Mercado de Trabalho – Cursos técnicos
A vantagem desse curso é a rapidez de ingresso no mercado de trabalho. Profissionalizante, um técnico dura, aproximadamente, um ano e meio e, ao final, o aluno sai com habilitação técnica em uma profissão. Para se inscrever é preciso ter concluído ou estar cursando o ensino médio.
Há carreiras, como em informática e bem-estar, que têm ótimos salários iniciais e até permitem abrir um negócio próprio em pouco tempo e com baixo investimento.

Click Oportunidades
Alunos e ex-alunos do Senac RJ também têm possibilidade de ingressar no mercado de trabalho por meio do Click Oportunidades, centro de carreira da instituição que encaminha, gratuitamente, estudantes concluintes dos cursos de educação profissional para oportunidades de emprego e estágios em empresas parceiras.

Senac RJ
O Senac RJ é uma instituição de ensino que atua há 70 anos na profissionalização de mão de obra para o setor do Comércio de Bens, Serviços e Turismo no Estado do Rio. Atualmente, é referência na oferta de cursos profissionalizantes, tendo atingido a marca de 70% de empregabilidade nos últimos anos, e investe fortemente em inclusão social por meio de capacitação para o mercado de trabalho. Com 39 unidades em todo o estado do Rio, de 2010 a 2014 o Senac RJ passou de 89 mil para 156 mil alunos.

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Teresópolis: Debate dos prefeitáveis - Bloco 5

Chega ao fim o debate promovido pela TV e jornal Diário. O quarto bloco começou com quatro direitos de resposta. Depois aconteceram as considerações finais.
Direitos de resposta
Tricano (PP) contestou afirmação de André Couto (PTdoB) sobre a Prefeitura estar inadimplente, dizendo que nunca deixou de receber recursos federais por conta de inadimplência.
Luiz Ribeiro (PMDB) teve direito de responder sobre sua esposa Afaf Francis quando prefeito e sua inércia como deputado. Luiz começou antes de responder dizendo que o indeferimento de Tricano é fato no TRE. Disse que sua esposa foi citada e lembrou que ela construiu um projeto de governo junto com ele e fez afirmações sobre os seis meses de Afaf como prefeita quando Tricano esteve afastado do cargo.Luiz Ribeiro prometeu ainda fazer uma auditoria, doa a quem doer, mesmo que seja ao governo anterior do PMDB, respondendo as críticas de André Couto.
O último direito de resposta foi de Cláudio Mello (PT) ressaltando que se orgulha muito do PT de Teresópolis, pelo seu mandato e pelos dois mandatos do ex-vereador Bira. "Eu ajudei a eleger Jorge Mário mas ajudei a cassar e o denunciei ao Ministério Público Federal"
Considerações finais
As considerações finais começaram com Salomão (REDE): "Você viu sete candidatos, você tem candidatos de todos os tipos. Se for seu desejo manter o quadro de 28 anos de degradação de Teresópolis tem candidatos para isso, se você quer que a cidade continue vivendo instabilidade política tem candidato para isso, e tome cuidado para não trocar seis por meia dúzia. Nunca fui prefeito, sempre tivemos uma posição crítica deste estado de degradação de 28 anos. Tenho um histórico, não sou médico, não sou dono de empresa de caminhão, nunca estive ligado à contravenção. Mas me preparei para ser prefeito. Se você quer um novo momento para Teresópolis me dê esta oportunidade", disse o candidato, que falou ainda de propostas suas para recuperar a cidade.
André Couto (PTdoB) usou a história, citando Janotti como o melhor prefeito da história de Teresópolis, que na década de 40 venceu os coronéis da época. Mais uma vez se posicionou como o único que representa a "nova política" e disse que é contra partidos, que se filiou apenas porque assim é exigido, que os partidos sáo o câncer da política da cidade . Disse que sua aliança é com Deus e não com homens. Finalizou dizendo que seu compromisso será abrir mais creches para mães e pais que precisam trabalhar e deixar suas crianças. Ainda voltou a atacar o prefeito Tricano dizendo que o mesmo não cumpriu com os pacientes da hemodiálise e disse que que vai respeitar estes pacientes.
Dr. Luiz Ribeiro (PMDB) falou das suas raízes e reforçou seus 38 anos como médico. Disse que está a todo momento em contato com as pessoas que precisam e que sua experiência leva a ter a certeza de que a principal prioridade é a saúde e que precisa ser revista pela ótica da humanidade. Disse ainda que é preciso trabalhar  para gerar mais empregos para a cidade.  Mais uma vez falou que o turismo é o caminho principal para esta recuperação econômica, junto com a vinda de indústrias não poluentes. "Vamos ser o prefeito daqueles que não estão satisfeitos", afirmou o candidato do PMDB.
Cláudio Mello (PT) disse que sua candidatura tem posições claras. "Nunca pensei que iria ajudar a eleger um prefeito e ter que lutar para cassar este mesmo prefeito. Cortamos na carne. Muitos que hoje se apresentam como candidatos estava sumidos ou fazendo parte do governo Arlei quando lutamos para cassar o mesmo". Criticou o governo Temer, falando que o PMDB pretende tirar direitos dos trabalhadores. "Os governos do presidente Lula e da presidenta Dilma cometeram alguns erros, mas tivemos muitos avanços". Minha forma política é diferente, mas não quero ser arrogante para dizer que sou melhor, nem me caracterizar como nova política. Podem não concordar com minhas posições mas não dizer que não me posiciono", afirmou Cláudio Mello.
Roberto Petto (SD) lamentou ter apenas um debate mas ressaltou que o eleitor pôde conhecer os candidatos. Falou para os servidores públicos, desportistas, criticou a saúde. "Fui prefeito, não fui perfeito. Não causei prejuízo para o Município". Disse ter ficado surpreso em ouvir falar em avanço em ciência e tecnologia. "Quando se fala em 28 anos, quase todos participaram direta ou indiretamente da política da cidade sim", comentou Petto. E ressaltou a segurança jurídica que a cidade precisa ter, falando que todos tem uma história de vida. "Em 2 de outubro pense antes de dar seu voto", finalizou o candidato do Solidariedade.
Paulo Ramos (PSOL) disse que nos debates trocam acusações quadros que depois das eleições muitas vezes governam juntos. Disse que a cidade está estagnada, com serviços públicos de má qualidade. "Nós do PSOL queremos gerar um novo tempo com turismo, agricultura, saúde descentralizada, transporte eficiente". Disse ainda: "Você precisa vencer os seus medos, dar um sentido político à sua revolta. Não se pode deixar derrotar. A decisão de agora vale por quatro anos. Não podemos ver num debate acusações entre iguais. É preciso sim um compromisso com a cidade, para uma nova fase de prosperidade e desenvolvimento".
Tricano (PP) pediu que o eleitor ore e peça a orientação de Deus. Disse que é momento de pensarem votar em quem fez e não em quem não fez. Elogiou Cláudio Mello e Bira por serem oposição mas com respeito. Disse ainda que em seus governos anteriores não teve atraso de salários. Ressaltou ainda a revitalização da Reta, com recursos do Governo do Estado, e a recuperação de vias vicinais. Destacou ainda outras ações que teve no atual período a frente do governo, ressaltando as dificuldades do governo. Finalizou mais uma vez falando na fé em Deus e na confiança com o resultado das urnas.

Nota da Redação: A equipe de A Gazeta Fluminense parabeniza o jornal e a TV Diário pela iniciativa e ao jornalista Anderson Duarte e a equipe que coordenou a exibição do debate. Que esta prática se mantenha e não voltemos a um passado onde eventos deste tipo muitas vezes foram esvaziados por outros interesses.

Teresópolis: Debate dos Prefeitáveis - Bloco 4

No quarto bloco, mais uma vez as perguntas foram de candidato para candidato, através de ordem de sorteio. O debate é realizado pela TV e jornal Diário, com parceria com organizações sociais, como OAB, Aciat, Observatório Social e Salva Vidas no Trânsito.
André Couto (PTdoB) disse que Petto (SD - foto) foi vice de Tricano em mandato anterior e queria saber qual a nota que ele daria ao governo daquela época. Petto disse que lamenta que André fala de passado e alfinetou o candidato ao lembrar que ele não mora em Teresópolis há 12 anos. Petto passou a destacar realizações de seu mandato e que daria nota alta para o seu governo e regular para o mandato em que ele foi vice e secretário de Saúde de Tricano. André respondeu que nunca abandonou a cidade e lamentava a parceria desastrosa Petto e Tricano. Disse que seu vice vai ser atuante. Petto respondeu que acredita que o candidato André conhece pouco a cidade e que assessorou deputados que nada fizeram por Teresópolis. Mas admite que o candidato é bem preparado e pode no futuro contribuir com a cidade.
Luiz Ribeiro (PMDB) fez pergunta a Tricano (PP - foto) sobre candidato ficha suja concorrer a prefeito. Tricano disse que na sua avaliação é ficha limpa, pois em 11 anos nunca teve as . Criticou Luiz Ribeiro que trouxe verbas para pesquisas com macaco monocarvoeiro, que nem existe nas matas de Teresópolis. E disse ainda que Luiz Ribeiro nada fez pela saúde estes anos todos. Luiz Ribeiro citou matéria de O Globo sobre os problemas de Tricano com a questão da Lei da Ficha Limpa. "Corremos o risco da instabilidade política mais uma vez", disse o candidato do PMDB.
Cláudio Mello (PT) fez pergunta ao André Couto (foto) sobre proposta do governo Temer que paralisa investimentos federais nas cidades. O candidato primeiro rebateu as críticas de que não mora aqui e que assessorou deputados e nada fez pela cidade. André disse que o deputado Cabo Daciolo tentou enviar recursos à cidade, mas a emenda não pôde ser concretizada, mas não conseguiram por conta do Município estar inadimplente. Cláudio Mello comentou que a PEC de Temer é preocupante pois congela os investimentos nos Municípios. André Couto não respondeu a questão da PEC e se limitou a fazer ataques ao PT, PMDB e ao atual governo.
Com a ausência de Claudinho do Posto, o candidato Paulo Ramos (PSOL) foi sorteado para responder sobre a polêmica da Tereprev. Ramos falou que o aposentado precisa ter seus direitos respeitados. Defendeu algo ainda não feito até hoje, a realização de uma auditoria e a responsabilidade de quem levou o instituto de previdência dos servidores municipais à situação atual.

Teresópolis: Debate dos prefeitáveis - Bloco 3


No terceiro bloco do debate promovido pelo jornal e tv Diário a temperatura começou a subir, com os candidatos fazendo as perguntas aos adversários.
O candidato Petto (SD) perguntou a Paulo Ramos (PSOL - foto) perguntou sobre projetos de agricultura. Paulo Ramos destacou que Teresópolis tem que cuidar melhor de uma vocação como a agricultura, tão importante para o Município, possibilitando melhor escoamento e livrando o pequeno produtor do atravessador. Paulo Ramos voltou também à questão da merenda escolar, destacando que é preciso melhorar a qualidade da alimentação dos estudantes e que é preciso fazer as compras junto aos produtores locais. Petto ainda teve direito à réplica e destacou programas que estabeleceu para a área agrícola quando prefeito. Paulo Ramos na tréplica disse que a população também tem que ser estimulada a comprar os produtos dos agricultores locais, através de políticas públicas.
Salomão (REDE) perguntou a Luiz Ribeiro (PMDB - foto) como modificar o declínio de empregos, tendo ele participado direta ou indiretamente dos últimos governos do Município. Luiz Ribeiro reconheceu a deficiência nos empregos, mas citou o turismo como o principal caminho para tentar melhorar esta questão, seja no turismo rural ou com grandes eventos. Na réplica, Salomão ressaltou como ele acha que pode mudar esta situação, sendo que participou como secretário dos governos Jorge Mário e Arlei e em nada influenciou neste sentido. Luiz Ribeiro admitiu que não era sua área e que procurou um sub-secretário na Alterdata para lhe ajudar. Disse ainda que não era secretário de Arlei, mas sim secretário de Teresópolis.


Paulo Ramos fez a pergunta a Salomão (foto) sobre o desenvolvimento do turismo no Município. O candidato da REDE ressaltou que tem vários projetos, como Museu do imigrante, corredor cultural e incentivo ao turismo rural. "Podemos gerar empregos com o turismo", diz Salomão. Na réplica, Paulo Ramos perguntou onde buscar os recursos para viabilizar isso. Salomão respondeu que a cidade precisa mudar primeiro a sua imagem para conseguir atrair incentivos: "Teresópolis precisa deixar de ser a cidade dos prefeitos corruptos, a cidade dos prefeitos com problemas na justiça", disse Salomão.


O candidato Tricano (PP) perguntou a Cláudio Mello (PT - foto) sobre projeto de lei que pede a devolução de dinheiro da Câmara para a Prefeitura. Cláudio  disse que o projeto do vereador Serginho Pimentel  seria inconstitucional e é curioso que ficou adormecido por mais de um ano e só veio a plenário num momento que o prefeito não tem maioria da Câmara. Cláudio disse ainda que ele e mais três vereadores apresentaram projeto que propõe a redução do repasse da Câmara e até hoje não foi votado. Tricano disse que o projeto não é para reduzir, mas sim para devolver. Cláudio rebateu que mais uma vez

Foi concedido direito de resposta do candidato Luiz Ribeiro, citado por Tricano em matéria de 2000 do jornal Folha de São Paulo como um dos piores parlamentares, na época como deputado federal. Luiz Ribeiro se defendeu, disse  que teve projetos aprovados na Câmara e que conseguiu recursos para o HCT e Parque Nacional. 

Teresópolis: Debate dos prefeitáveis - Bloco 2

O segundo bloco do debate foi marcado por um momento diferente. Valéria Ferreira Moraes, representante do Observatório Social, leu o compromisso de termo de transparência que os candidatos foram convidados a assinar. 
"A sociedade civil organizada de Teresópolis, neste ato representada pelo Observatório Social, vem convidar o candidato a assumir o compromisso de adotar o plano de transparência e controle social".
Todos os candidatos assinaram o documento e destacaram a importância da transparência na aplicação das receitas do Município e quais as Despesas adotadas.
A comissão julgadora formada por representantes da OAB, do Salva Vidas no Trânsito, Aciat e do Observatório Social concedeu dois direitos de resposta a Luiz Ribeiro e Tricano.
Luiz Ribeiro disse que o prefeito é desinformado ao criticar a Beneficência Portuguesa. "Sou médico há 38 anos e basta visitar nosso hospital para ver o que está sendo feito", disse Luiz Ribeiro.
Tricano ganhou direito de resposta a André Couto e disse que está pagando os aluguéis sociais, pois o candidato do PTdoB afirmou no primeiro bloco que ele chamou um grupo de pessoas que aguardam as casas da Ermitage como "meia dúzia de gatos pingados" e não foi solidário aos mesmos. Tricano chamou os outros candidatos a após a eleição irem pressionar na Alerj pela entrega das casas.

Teresópolis: Debate dos prefeitáveis - bloco 1

O debate promovido pelo grupo de comunicação do jornal e TV Diário, com parceria de algumas entidades sociais, acontece neste momento e dá mais uma oportunidade ao eleitor teresopolitano de conhecer as propostas dos candidatos a prefeito. O candidato Claudinho do Posto (PSDB) não participou do debate. Segue um resumo do que foi o primeiro bloco.
No primeiro bloco, os candidatos responderam perguntas sorteadas. Temas como saúde, economia, serviços públicos e outros foram abordados pelos candidatos. Nílton Salomão (REDE) e Paulo Ramos (PSOL) aproveitaram perguntas sobre economia local e merenda escolar, respctivamente, para destacar realizações quando deputados. Salomão foi deputado estadual por quatro oportunidades. Já Paulo Ramos ainda ocupa cadeira na Alerj e também já foi deputado federal.
O candidato André Couto (PTdoB) começou acusando todos os demais de representarem a "velha política" e se colocando como candidato único do que ele chama de "nova política". Cláudio Mello (PT) ao falar do problema da iluminação pública destacou que esta é mais uma das "caixa preta" existentes na Prefeitura de Teresópolis nos últimos anos.
Luiz Ribeiro (PMDB) foi questionado sobre as OS na saúde e disse que a cidade tem que mudar este modelo, acabando com a contratação das mesmas, uma prática que foi adotada no Estado e em vários municípios justamente pelo seu partido. 
Roberto Petto (SD) comentou sobre mobilidade urbana e destacou a necessidade de se fazer um plano de mobilidade para redefinir o trânsito da cidade.
No primeiro bloco, Tricano foi responder sobre água e saneamento básico e atacou o candidato Dr. Luiz Ribeiro, afirmando que a Beneficência Portuguesa, hospital dirigido pelo ex-deputado, não atende a população e que foi o vice de Luiz, Dr. Maurílio Schiavo, quem acabou com o convênio da Prefeitura com o Hospital das Clínicas de Teresópolis. Tricano ainda disse que a questão da água tem que mudar, tem que ser revista.